28° C

Notícias

Notícias

Porto do Recife: um centenário inovador

Neste sábado (12), o ancoradouro completa 102 anos como porto organizado

 1109 Porto do Recife

 

Recentemente o ancoradouro adquiriu um Sistema Integrado de Gestão Empresarial que deixará um sistema Business Intelligence à disposição dos gestores e que ajudará a tomar decisões inteligentes, mediante dados e informações recolhidas pelos diversos sistemas de informação. O Pirâmide é um software corporativo, com o qual iremos controlar todas as informações do Porto, integrando os dados, recursos e processos, das áreas de Vendas, Finanças, Contabilidade, Fiscal, Estoque, Compras, Operação, Folha de pagamento, entre outros dados”, explica Carlos Vilar, presidente do Porto do Recife. A virada está planejada para ocorrer no dia 01.10. A implantação está na fase final de treinamento dos funcionários. Além de integrar os dados o sistema estará na nuvem, o que significa que pode ser acessado de qualquer lugar. Quem seguir em trabalho remoto terá acesso como se estivesse no Porto.  "Tudo isso nos tornará mais competitivos, na medida em que teremos as informações na palma das mãos, on line em tempo real", ressalta Vilar.

O ancoradouro também está investindo em monitoramento através de drones. Com mais de dois quilômetros de cais acostável, seis berços de atracação, pátios e armazens, o equipamento traz mais agilidade para a segurança e operações realizadas no Porto do Recife.

As obras estruturadoras também são a grande aposta do porto centenário, Até o final de setembro deve ser publicado o edital de licitação da obra de dragagem do Porto do Recife. A licitação é fruto de um Termo de Compromisso assinado, no final de 2019, entre o Governo do Estado e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, com interveniência da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado e a interveniência executora da Porto do Recife S.A., na ordem de R$ 24.189.188.34. “A obra vai marcar uma nova fase nas condições operacionais do Porto do Recife”, comemora Carlos Vilar. A licitação prevê a retirada de um volume de 832.208 m³ de sedimendos do cais acostável, canal interno e bacia de evolução.

Já está em elaboração outros dois editais, um para a obra de drenagem e pavimentação de toda a faixa de cais e outro para a aquisição de novas defensas. Todas essas obras devem ser concluídas até o final de 2020.

O Porto do Recife também aguarda com muita expectativa a aprovação do Projeto de Lei 4199/2020, o qual institui a BR do MAR e estimula o transporte por cabotagem. Nos anos 1980/1990 o Brasil vivia o auge da cabotagem e o Porto do Recife participava ativamente do Modal, inclusive com operação de contêiner. "Com a retomada e o estímulo à navegação de cabotagem, o ancoradouro recifense volta a ser uma excelente opção de porto pra esse tipo de navegação, ajudando a desenvolver Pernambuco e o Brasil”, explica Vilar.

O Porto do Recife tem em sua infraestrutura um pátio de contêiner com 70mil m2 e após a dragagem, que deve ser finalizada até o final do ano, disponibilizará ao mercado 5 berços de atracação  com 12,5 metros de profundidade.

UM POUCO DE HISTÓRIA - A história do Porto vai além dos 102 anos. A cidade do Recife nasceu junto com o Porto. Em meados do século XVI, quando os colonizadores portugueses ainda descobriam o Brasil, o navegador Pero Lopes de Souza já registrava, em seu Diário de Viagem, um ancoradouro denominado de ‘Arrecife dos Navios’. A comemoração dos 102 anos representa a estruturação do ancoradouro como porto organizado. Datam de 1815 as primeiras iniciativas para a realização de melhoramentos no antigo ancoradouro do Recife. No decorrer do século XIX foram elaborados diversos projetos, sem que a execução prosperasse. Somente em 1º de julho de 1909, com a publicação do Decreto nº 7.447, a empresa Societé de Construction du Port de Pernambuco foi autorizada a construir as novas instalações, compreendendo 2.125m de cais e três armazéns.

Através dos decretos nºs 14.531 e 14.532, ambos de 10 de dezembro de 1920, ficou definida a transferência da concessão do porto para o governo estadual, que deu prosseguimento às obras da sua implantação, concluindo mais cinco armazéns, um galpão e começando o prolongamento do cais. Essa concessão foi revista e aprovada pelo Decreto nº 1.995, de 1º de outubro de 1937, e encampada, posteriormente, pelo Decreto nº 82.278, de 18 de setembro de 1978, pela Empresa de Portos do Brasil S.A (Portobrás), extinta em 1990, passando o Porto do Recife à administração da União até maio de 2001. A partir de 1º de junho de 2001, através do Convênio de Delegação nº 02/2001, firmado entre o Governo do Estado de Pernambuco e a União Federal passa a administração e exploração do Porto Organizado do Recife a ser realizada pelo Estado de Pernambuco por intermédio da empresa Porto do Recife S/A.

O Porto do Recife é comandado hoje por Carlos Vilar. Portuário de carreira e que está na casa há 45 anos. Essa é a terceira vez que Vilar ocupa a diretoria da presidência do ancoradouro.