28° C

Notícias

Notícias

Pernambuco sedia primeira reunião de secretários de Desenvolvimento Econômico promovida pelo Consórcio Nordeste 

consorcio nordeste

Com o objetivo de promover o desenvolvimento social e econômico sustentável, o Consórcio Nordeste segue articulando pactos entre os estados em prol do fortalecimento de políticas públicas. O secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach, recebeu representantes dos outros oito estados nordestinos, nesta sexta-feira (13/03), para discutir estratégias comuns à promoção de novos negócios e geração de empregos na região. É a primeira vez que secretários dos nove estados, após a criação do grupo, reurinam-se oficialmente para traçar estratégias da pauta econômica.

O encontro foi capitaneado pelo secretário executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, ex-ministro da Previdência nos governos Lula e Dilma. Na ocasião, cada estado expôs um resumo executivo de seus projetos prioritários. Outros temas, no entanto, integraram a pauta, a exemplo das relações comerciais com a China e o mundo árabe.  Alessandro Teixeira, ex-ministro de Turismo e ex-presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex Brasil), fez uma apresentação a respeito.

Um Plano Emergencial de Emprego e Renda, criado pelo Piauí, foi outro assunto compartilhado durante a reunião do Consórcio Nordeste no Recife. Também discutiu-se a possibilidade de criação de um fundo comum de ciência e tecnologia e de um fórum de desenvolvimento econômico sustentável.  

Restrospectiva - O Consórcio Nordeste foi criado há um ano, mas já vem colhendo frutos. Em novembro do ano passado, o governador Paulo Câmara e o secretário Bruno Schwambach fizeram parte da comitiva dos governadores nordestinos que visitou a França, a Itália e a Alemanha em busca de novas oportunidades e empreendimentos. 

Nos três países, os gestores apresentaram o funcionamento do consórcio e um mapa de oportunidades do Nordeste, inclusive com a perspectiva de abertura de parcerias público-privadas (PPP). No Velho Continente, a comitiva participou de eventos com empresários e teve reuniões com setores econômicos e governamentais.

De lá pra cá, dois grupos europeus já manifestaram interesse em investir em Pernambuco. Em dezembro de 2019, o italiano Cestari apresentou proposta de manifestação de interesse para tornar mais eficiente o consumo de energia elétrica na administração pública. 

O outro desdobramento foi com a empresa Golar Power Latam, uma joint venture (empreendimento conjunto) entre a norueguesa Golar LNG e o fundo Stonepeak Infrastructure Partners, que anunciou no mesmo dia da reunião a implantação de um terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Porto de Suape, que atuará como hub de fornecimento e interiorização do produto para todo o Nordeste.

O plano de ação também prevê infraestrutura de suprimento de Gás Natural para geração de energia elétrica, além de atender demandas industriais, comerciais, postos de GNV/GNL e domiciliares. Com este projeto, a empresa vai investir cerca de R$ 1,81 bilhão.