28° C

Notícias

Notícias

Governo de PE e Masterboi selam protocolo de intenções para investimento que vai gerar 800 empregos no Agreste

Empresa vai instalar frigorífico industrial e abatedouro no município de Canhotinho, a 207 km do Recife. Serão R$ 112 milhões aportados no empreendimento, cujas obras começam em 2020

 

Empresa genuinamente pernambucana, a Masterboi encerra o ano com meta de expandir suas operações no Estado. A companhia anunciou, nesta sexta-feira (20), que investirá R$ 112 milhões na implantação de um frigorífico industrial e um abatedouro no município de Canhotinho, Agreste Meridional. Apesar de tecnológica, a planta exigirá mão de obra intensiva: serão gerados cerca de 800 postos de trabalho diretos, número que representa mais da metade da população economicamente ativa do município, segundo levantamento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco.

O protocolo de intenções formalizando o aporte foi assinado pelo governador Paulo Câmara e pelo presidente da empresa, Nelson Bezerra. Também assinaram o documento o diretor administrativo da Masterboi, Miguel Zaidan, e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach. As obras começarão no primeiro semestre de 2020, com as operações sendo iniciadas no fim de 2022. Em atividade plena, a nova unidade, que ficará numa área de 110 hectares, terá capacidade de abater 500 bois e processar 250 toneladas de carne por dia, de bois, suínos, caprinos e ovinos.

O secretário Bruno Schwambach destaca a importância do papel de uma empresa como a Masterboi para o adensamento de cadeias produtivas no Agreste Meridional - neste caso, o da pecuária de corte, que ganha destaque juntamente à tradição da bacia leiteira na região. “É um frigorífico que vai desenvolver toda a questão da pecuária de corte. Uma indústria como essa vai estabelecer toda uma cadeia, atingindo também a Mata Sul. É um olhar para uma área que precisava ter um desenvolvimento dentro da sua vocação”, comentou.

Para estimular a pecuária de corte no Estado, o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), Roberto Abreu e Lima, informa que deverão ser
firmadas parcerias com outros órgãos do governo e a própria Masterboi. Através do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic), será avaliada, no 1º trimestre do próximo ano, uma nova leva de incentivos fiscais para a empresa, via Prodepe (Programa de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco). A análise do novo projeto está prevista para a primeira reunião do conselho, em 2020. Como contrapartida estadual ao investimento privado, e em paralelo à questão dos incentivos fiscais, a AD Diper também bancará a construção de um acesso viário e de uma via de aceleração nas imediações da fábrica.

LOGÍSTICA PLANEJADA - A escolha de Canhotinho para sediar o novo empreendimento deve-se à localização estratégica da cidade para a pecuária de corte. Além de ser próxima do estado de Alagoas, grande fornecedor dos insumos para produção, a unidade pode servir de porta de entrada para o Sertão pernambucano. “Também já vamos nascer habilitados para exportar”, acrescenta o diretor administrativo da Masterboi, Miguel Zaidan.

De acordo com o executivo, a empresa mira o mercado asiático, sobretudo Hong Kong. “A unidade que vamos construir no estado pode exportar também para os países muçulmanos. Eles são grandes consumidores de carne dianteira, assim como Pernambuco”, acrescentou. Zaidan informa que serão injetados diretamente, na economia do município, R$ 1,2 milhão mensais, apenas com o pagamento de salários. O impacto, de fato, será relevante: a população de Canhotinho é de 24,8 mil habitantes e o PIB municipal gira em torno de R$ 200 milhões/ano. Em 2016, 46,6% do Valor Adicionado Bruto (VAB) da cidade - que é o PIB sem impostos - vinha da administração pública. A agropecuária aparece em seguida, com 21,3%, segundo pesquisa da Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico.

SOBRE A MASTERBOI - A empresa é pernambucana, com matriz no Recife, e há 19 anos atua no mercado nacional de processamento e distribuição de alimentos. Produz cortes
especiais e, além dos produtos de marca própria, atua com distribuição, exportação e importação. Seu mix é composto por mais de 700 itens, entre carnes bovinas, espetinhos,
carne de sol, charqueados, aves, suínos, embutidos, laticínios, ovinos, pescados, crustáceos e vegetais. A Masterboi possui atualmente cinco unidades em Pernambuco, sendo um centro de distribuição e processamento e quatro lojas de atacarejo. Além disso, opera um CD na Paraíba e duas plantas frigoríficas industriais em Tocantins e no Pará, com capacidade de abate de 1,7 mil bois por dia. Todas as unidades frigoríficas têm certificação do SIF (Serviço de Inspeção Federal) e são habilitadas a exportar para mais de 45 países.
Ao todo, emprega 2,7 mil funcionários nas suas unidades do Recife, São Geraldo do Araguaia (PA) e Nova Olinda (TO). A empresa deve fechar o ano com R$ 1,5 bilhão em receitas.